quarta-feira, 14 de setembro de 2011

As lojas físicas tem o e-commerce como um grande aliado


Com a crescente demanda do varejo online, diversas lojas já existentes no mercado decidiram também adaptar suas vendas para o mundo virtual. Além de ampliar sua cartela de clientes para todo o território nacional, o e-commerce acaba contribuindo ainda com as vendas das lojas físicas. Juntas, as duas versões podem trazer um grande retorno no aumento do canal de vendas da empresa.

O e-commerce tem o poder de difundir e divulgar de forma mais efetiva e rápida um negócio. Uma loja de pequeno ou médio porte é facilmente conhecida em sua região. Mas para abranger toda a cidade, principalmente em grandes capitais como São Paulo, é preciso um trabalho muito mais forte e intenso, em especial quando não está instalada dentro de um shopping.

Ao aderir o comércio online, empresas são localizadas na web facilmente. A abrangência da loja é expandida para outros estados, principalmente se oferecer produtos diferenciados e preços compatíveis. O mesmo pode acontecer na região onde o espaço físico está localizado. Moradores de bairros próximos podem desconhecer a loja até fazerem a pesquisa na internet.

Com todas as informações disponíveis no mundo virtual, muitos consumidores decidem comparar opções de produtos e preços antes de decidirem por uma compra. Mas, mesmo com o avanço da tecnologia, alguns ainda preferem ver o produto de perto, tirar as dúvidas com o vendedor para depois efetivarem a compra. Antes, o consumidor passava em frente a loja e decidia, na hora, entrar ou não. Agora ele se desloca propositalmente até o local e já sabe o que procura. De acordo com o diretor comercial da Eletrônica Santana, Rubens Branchini Martins, muitos clientes chegam com um papel impresso do site, conscientes da sua compra, mas ficam receosos enquanto não tocam o aparelho com as mãos. “O brasileiro ainda tem a cultura do contato”, explica Martins.

Lojas virtuais e físicas são partes de um mesmo negócio e não podem ser confundidas como concorrência. Em alguns momentos, a situação também pode inverter. O cliente pode ter ficado interessado em um produto, mas indeciso sobre a compra e preço, deixando para decidir a sua compra em casa. Em frente ao computador, o consumidor pode pesquisar os preços em outros lugares, entrar nas redes sociais e ver o que os demais usuários da marca estão dizendo sobre o produto, e realizar a compra pela internet, com muito mais praticidade e facilidade. Tanto em um caso como no outro, o importante é que a empresa atenda as necessidades de cada cliente ao trabalhar com dois canais de vendas.

Fonte: E-Commerce News

Nenhum comentário:

Postar um comentário